Quinta do Romeu 2018-02-02T22:12:07+00:00

Quinta do Romeu

Portugal

Douro

Porto

João Menéres

Fator XPTO: No Romeu nada é plano, nem a paisagem, nem o clima, nem as pessoas… nem os aromas!

As vinhas, os olivais, os sobreirais e duas ribeiras convivem no Romeu entrelaçados de forma natural, formando um mosaico vivo, com muitas aves, esquilos, rebanhos ou javalis. Os montes à volta são grandiosos, o espaço é enorme e os céus divinos.
simplesmente… no Romeu nada é plano, nem a paisagem, nem o clima, nem as pessoas… nem os aromas!
Os vinhos reflectem naturalmente tudo isto. Embora com o carácter robusto do Douro, têm a elegância e a frescura deste local diferenciado. Há no Romeu uma grande dedicação à qualidade da uva e, na adega, tudo acontece com um mínimo de interferência. As fermentações dos tintos são feitas em lagares de granito, as leveduras indígenas, as quantidades de SO2 utilizadas reduzidas e a maioria das madeiras de estágio são usadas.
A Quinta tem uns milhares de hectares de sobreirais dispersos por oito concelhos, 120ha de olivais e 25 de vinhas que são, literalmente, aquelas situadas mais a norte na região demarcada do Douro.
A altitude média das vinhas é de 300m com exposições solares diversas. Solos de xisto na transição para o granito. Clima seco com amplitudes térmicas diárias e anuais enormes. E como se esta diferenciação não fosse suficiente, são de agricultura biológica desde 1997. Aliás, toda a Quinta do Romeu é integralmente biológica, certificada. Em 2012 converteu a quinta à biodinâmica. Digamos que deixou a natureza voltar a trabalhar.
A Quinta do Romeu pertence à família Menéres, que se encantou com esta zona de Mirandela em 1874. Entretanto está na 5ª geração, já passou os tempos da implantação da República, duas grandes guerras, a revolução de 1974 e a integração europeia. Actua agora num palco globalizado. São persistentes o suficiente para se manterem nesta região isolada do nordeste e tiveram a ousadia de preservar o mosaico de culturas aí existente, o que se revelou precioso na altura de fazer um reset de regresso às origens, como ultimamente. Assim se libertou da monótona uniformização dos vinhos mundiais.

Contactos

Voltar