Maria Cristina Valente

Portugal

Nasci em 1963, sou natural de S. João da Madeira, cresci e vivo no Porto.
Em 1986 licenciei-me em direito. Sou advogada de profissão.
Em 1996 ingressei no Atelier Escola de Pintura de Cedofeita, no Porto, sob a orientação do mestre Artur Terra e, tendo passado a pintar regularmente, a par da atividade profissional.
Desde 2003 tenho participado em várias exposições coletivas e a partir de 2010 comecei a expor individualmente.
Comecei a pintar por necessidade de libertação, de romper com as normas de uma profissão absorvente e onde todas as consequências são ponderadas.
Na pintura podemos quebrar regras, podemos deixar-nos conduzir pelo estímulo do prazer criativo ou estético. O ato de pintar é infindavelmente evolutivo e desafiante, libertador e gratificante. Temos o prazer de o conceber, de o executar e de usufruir do resultado.
A maioria dos meus trabalhos de pintura é marcada por jogos de cores e linhas, revelando diversos ritmos e lógicas, com intenção mais sensitiva que figurativa. Procuro o equilíbrio no meio do caos ou um pouco de desordem no meio do equilíbrio. Gosto que tenha sempre uma lógica, uma leitura ritmada, mesmo que não seja óbvia. É uma espécie de jogo, uma forma diferente de música ou de matemática, um jogo entre a liberdade que temos e o modo como a usamos ou controlamos.
Quando vejo uma paisagem, uma rua, gosto de olhar para ela e só ver as cores, depois só ver as formas, depois só ver as linhas e de, seguida, volto ao real. Quando pinto faço o mesmo, brinco com peças, posso virá-las ao contrário e pôr no lugar que só eu determino. Luto para conseguir fazer como quero ou paro e recomeço. Não há necessidade de provar nada a não ser a mim própria, posso ser totalmente irreverente no ato criativo, livre… simplesmente!

Contactos

Voltar